Como mudar a Cord da pigmentação de ovos na sua fazenda ou granja

O ovo é um alimento de destaque na alimentação humana, contribui para uma nutrição completa das pessoas de qualquer idade, desde crianças à idosos.

Além de sua composição de nutrientes como proteína, minerais ferro, fósforo, zinco, manganês, cálcio, vitaminas A, D, E, K, B1 (tiamina), B2 (riboflavina), ácido ascórbico (vitamina C), ácido fólico, e componentes bioativos, carotenoides a cor da gema do ovo também é apreciada.

A cor da gema do ovo pode impulsionar o consumidor a consumir ou não o produto, por exemplo, um ovo com a gema mais amarela tendendo ao alaranjado, onde há uma conotação popular que diz respeito a quanto mais amarela a gema mais nutritiva é o ovo.

Apesar deste costume, isto não passa de um mito, pois a coloração da gema dos ovos é resultado da deposição de pigmentos oriundos dos alimentos que as aves (galinhas, codornas, patas) comem.

Devido a alimentação das poedeiras serem comumente composta por milho e farelo de soja, o pigmento presente no milho, a zeaxantina é responsável pela pigmentação das gemas dos ovos, onde estas adquirem uma cor amarelo mais opaca quando este ingrediente é substituído por outras fontes alimentares com baixa quantidade ou nenhuma de carotenóide, sendo interessante incluir na alimentação destes animais pigmentantes alternativos para assim alcançar a cor de gema desejada pelo consumidor.

Além dos carotenoides, zeaxantina, luteína, licopeno, criptoxantina entre outros, a presença adequada de gorduras na dieta da ave auxilia na absorção e deposição destes pigmentos na gema, que ocorre a partir do carreamento pelas micelas presente no intestino para a corrente sanguínea e daí seguem juntamente com os ácidos graxos (gorduras digeridas) para os ovários depositando cor no oócito (futura gema no processo de metabolização do ovo).

Outro fator interessante na pigmentação da gema é que neste processo que ocorre dentro da ave, temos a competição por carotenódes quanto ao tempo de consumo e capacidade de estocagem dos alimentos, pois estes pigmentos quando ainda não ingeridos estão sujeitos a alterações em sua quantidade ocasionada por interferências biofísicas, com é o caso da temperatura, intensidade luminosa, oxidação e moagem.

Sabendo do que pode interferir na pigmentação das gemas dos ovos, os produtores de ovos e técnicos responsáveis, com o auxílio das pesquisas e tecnologias, têm procurado atingir a cor ideal das gemas a partir da suplementação alimentar das aves como é o caso de utilizar aditivos pigmentantes na dieta dos animais, mediante estudo sobre seus efeitos na saúde das aves e de viabilidade econômica.

Dentre os pigmentantes alternativos mais utilizados de viabilidade econômica na avicultura industrial temos a cantaxantina, capsantina, citranaxantina, licopeno, luteína, bixina, estes compostos pigmentantes também podem ser encontrados em alimentos que podem complementar as formulações tradicionais das rações das aves, por exemplo, beterraba, vegetais verdes, páprica tomate, extrato de urucum.

 

Então a gema do ovo é mais do que uma nutrição adequada, é um aspecto de importância social e econômica, por ser um critério de qualidade observado pelo consumidor, onde a sua cor além de atraente pode indicar que os criadores estão preocupados com a correta alimentação das aves sem deixar de lado as exigências do mercado, a cor da gema pode ser alterada através da inclusão de ingredientes na ração que terão o objetivo de conferir cor sem prejudicar a  composição nutricional dos alimentos ingeridos pela ave e a composição nutricional do produto ovo.

 

 

1 Trackback or Pingback

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *