Cuidados com o cartão de crédito para não entrar em dívidas

O cartão de crédito é um método de pagamento que permite aos consumidores comprar e na maioria dos casos, pagar somente no próximo mês. Visto que, as compras podem ser parceladas em casos que o consumidor não consiga pagar à vista. Por isso, é essencial que o usuário saiba os cuidados com o cartão de crédito para não entrar em dívidas.

 

Entretanto, é importante saber usar o cartão de crédito de forma planejada e séria. Dessa forma, o cartão corporativo torna-se um aliado no planejamento do orçamento mensal. Alguns exemplos são, compra de itens mais caros, uso em caso de emergências e até nas compras online.

 

É importante lembrar que o crédito disponibilizado pelo banco, deve ser utilizado quando o consumidor tiver ciência que o crédito é uma forma de empréstimo. Além disso, se ele não for pago, serão cobrados juros sobre a fatura não paga.

Cuidados com o cartão de crédito para não entrar em dívidas

As empresas de cartão de crédito não ganham dinheiro apenas cobrando juros sobre faturas que não foram pagas integralmente. Eles também ganham dinheiro impondo várias taxas aos titulares dos cartões. 

 

Não importa quantos cartões de crédito você tenha, desde que você evite as taxas cobradas pelo banco.

 

Se você não gosta de perder dinheiro, listamos abaixo os cuidados com o cartão de crédito para não entrar em dívidas.

1. Multas por atraso de pagamento

Essas taxas entram em jogo quando você não efetua o pagamento mínimo antes do vencimento da fatura. Quer evitar essas taxas? Não atrase seus pagamentos. 

 

Além disso, o cliente deve prestar atenção nas compras que realiza durante o mês, assim não passará por uma situação em que tenha que atrasar o pagamento da fatura por falta de dinheiro.

 

Um atraso no pagamento da sua fatura pode resultar em um score baixo. Quanto menor for seu score, menores serão as possibilidades de conseguir crédito no mercado. Portanto, vale se programar para evitar esse atraso.

2. Saque em dinheiro

Muitos cartões de crédito dão aos titulares do cartão o acesso ao dinheiro em espécie, porém, a um alto custo. Por exemplo, quando você saca o limite do seu cartão em dinheiro em espécie, geralmente é cobrada uma taxa que pode facilmente chegar a 15% da quantia retirada. 

 

Dessa forma, se o cliente sacar R$ 1.000,00 em dinheiro, ele terá que pagar no fechamento da fatura R$ 1.150,00. Nesse sentido, se ele não pagar essa fatura, ela pode acabar virando uma bola de neve.

 

Desse modo, caso você precise de dinheiro, é mais vantajoso buscar por outras formas de empréstimos, que possuem uma taxa menor do que a cobrada pelos emissores do cartão de crédito.

3. Anuidades

A anuidade nem sempre é uma má ideia, desde que o cliente tenha bons benefícios com o uso do seu PicPay Card. Porém, anuidade que não justifique seu custo, é um desperdício de dinheiro e deve ser evitada. 

 

Por exemplo, se você tem um cartão de crédito com uma taxa anual e esse cartão não oferece mais milhas aéreas, cashback ou benefícios melhores do que um cartão sem anuidade oferece, então vale a pena cancelar esse cartão.

 

Além do mais, antes de solicitar um cartão com anuidade, pesquise os benefícios e  certifique-se de que você provavelmente poderá usufruir deles. Um exemplo, o cartão que oferece muito cashback para viagens, pode não ser uma boa escolha, se você não fizer muitas viagens. Nesse caso, você pode acabar pagando anuidade sem ter um bom motivo.

4. Transações no exterior

Alguns cartões de crédito irão cobrar por você passar seu cartão no exterior. Dessa forma, não é incomum que as taxas de transações estrangeiras girem em torno de 6%, o que pode sair do orçamento, se você passar muito tempo no exterior e usar seu cartão de crédito com frequência. 

 

Muitos cartões de crédito que são exclusivos para viagens não cobram taxas de transações estrangeiras. Portanto, pesquise com calma, especialmente se você planeja fazer muitas viagens.

 

Logo, podemos observar que as taxas de cartão de crédito nem sempre são inevitáveis. Assim, devemos pesquisar melhor sobre as taxas cobradas pelo banco emissor do cartão de crédito que utilizamos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *